domingo, 21 de novembro de 2010

Escuridão - Poesias

Em 1987 conheceu o medo da escuridão,
E no alto da Mangabeira achou a solidão.
Quanto medo ela sentiu da extirpação,
E as saudades do tempo de sua abotoação!
Que lhe traziam de volta a emoção,
Do amor escondido em seu próprio coração!
E, na escuridão de sua vida, fez a abdicação.
Do amor que se tornara abjunção.
Ela deveria fazer uma ab-rogação,
E dele, pra sempre, fazer abstenção!
Nas sombras daquela aberração,
Fez sua vida tornar-se abreviação!
E... o passado seria apenas abstração,
Seu corpo em uma eterna abirritação.
Da “alma” que não passava de ilusão,
Sai ferida, mais fiel como um cão,
Que não mais fareja o seu patrão.
Ela teve medo de cada dia aumentar a escuridão.
Mas não podia fugir ao destino, a perdição!
Pois, a escuridão, já fazia parte do seu coração
Muito antes da perda da visão!
Antes tinha perdido seu amor...
Agonizante em sua dor.
E, nas paralelas dessa sua estrada,
A solidão alojara-se em sua calçada,
Ficando para sempre eternizada!






Um comentário:

  1. Lya, obrigado pela sua visita tão especial ao blog, fiquei muito feliz.
    E que bacana seu blog! Estava lendo as poesias, são todas lindas. Essa da escuridão, mesmo com um tema tão difícil e até triste, rendeu um belíssimo poema.
    Adorei e aqui com certeza retornarei!
    um bom dia pra vc, obrigado

    ResponderExcluir

Será um grande prazer saber sua opinião, ler seus comentários. Sinta-se em casa, arraste a cadeira e tome um café com poesia, que tal?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Real Time Web Analytics