domingo, 13 de junho de 2010

Incógnita.- Poesias

Quando você partiu,
Me disse adeus e saiu.
Uma lágrima em meu rosto rolou,
E eu morri ali.
Mas tive a ilusão que o amor
Era mais forte,
Mais forte que a própria morte.
E iria sobreviver...
Mesmo em outro ser.
Esperei muito tempo sua volta,
Às vezes olhando a rua na madrugada,
Relembrava, sonhava acordada.
Que você chegava,
E, eu era novamente feliz,
Mas eu só me enganava,
E nada mais restava.
Quantas vezes me sentei no banco da praça,
Vendo as crianças sem "graça".
No mesmo banco que foi “nosso”,
Mas as flores do "jardim" murcharam.
Assim como o amor que eu senti,
E ali, eu nunca mais te revi...
Percorri os mesmos caminhos,
Queria só te ver passar,
Pra poder continuar.
Mais foi pura ilusão!
Meu amor não foi bastante,
Para te fazer voltar ao meu coração.
E eu boba pensava:
Que só sua felicidade importava.
E o que eu sofria, não valia,
E como um autômato, eu só repetia,
Gestos insanos.
E... assim me apaguei,
pra que você brilhasse!
pra que você continuasse.
e... aos poucos fui morrendo,
e você muito bem ia vivendo.
Que tolice; podia ter lutado,
E talvez o tivesse reconquistado;
Talvez de novo tivesse me amado.
Essa dúvida me corrói,
O desespero me destrói.
Só queria uma resposta.
Será que um dia me amou?
Comigo você sonhou?
Por favor responda,
Mesmo que não tenha mais volta.
Não importa.
Só queria ter certeza.
Para acabar com essa frieza,
Que trago no coração,
Por tamanha ilusão.


3 comentários:

  1. Olá Celia!

    Obrigado pelo carinho.

    O selinho está neste link...

    http://serpai-acerca-de.blogspot.com/2010/06/un-ano-ya.html

    Passa lá para pegar, é teu.

    Bom domingo.

    ResponderExcluir
  2. Olá Celia!

    Entendo muito bem o português.
    Que lindo ficou o selo no teu blog.
    Podes levar a flor sim, é tua!

    Boa semana.

    Um beijo.

    Sergio.

    ResponderExcluir
  3. Ficou lindo o selo.

    Mas não é esse. Podes deixá-lo ficar, porque é da minha Amiga Alma Inquieta e, certamente, ela ficará muito feliz de o ver aí.

    O meu está no post onde está a flor..., é o que tem a ponte.

    Um beijo.

    Sergio.

    ResponderExcluir

Será um grande prazer saber sua opinião, ler seus comentários. Sinta-se em casa, arraste a cadeira e tome um café com poesia, que tal?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Real Time Web Analytics