segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Mensagem de Natal

Um Prato de Comida



Era época de Natal. Manoel morava na roça e foi pela primeira vez na cidade. Quando ia saindo, a mulher recomendou:
- Manoel não esqueça de ir na igreja pedir a benção de Deus para a nossa vida.

- Tá certo, Maria.
E quando resolveu os negócios, foi na igreja e toca a olhar tudo com muita admiração. E se esbarrou com Jesus pregado na Cruz e começou a conversar com Ele:
- Mas homem, quem fez isso com o senhor? Coitado! Tão magro, costela de fora... Homem, que desanimação é esa?
Mas Jesus continuava calado. E Manoel continuou:
- Senhor, sei que tá com muita fome. Vá comer lá na min há casa, vá que Maria prepara um comer bem gostoso para o Senhor. Coitado! Tão fraco que nem tem coragem de falar! Pois bem, meio-dia esteja chegando sem falta.
Quando chegou em casa, Maria logo perguntou:


- Teve na igreja, Manoel?
- Mulher, encontrei na igreja um pobrezinho com fome, pregado numa cruz. E convidei para comer, ao meio dia aqui em casa. Pega a galinha que tem no terreiro e cuida de preparar.
E assim fez Maria. Daí a pouco, chegou uma vizinha:
- Que novidade, Maria, matando galinha dia de semana?
- É porque Manuel convidou Jesus para vir comer em nossa casa.
- mulher, que satisfação! Pois vou buscar um pouquinho de arroz para nós cozinhar pra Jesus.
Nisso outra vizinha soube e trouxe verduras; outra trouxe ovos e começou aquela festa na casa de Manoel. Quando deu 11 horas, a comida estava pronta. E eles toca a esperar... e nada de Jesus chegar.
Quando Manuel se levanta para olhas na estrada, lá vem chegando uma família de retirante.
- Moço, me dê um prato de comida pra mulher e meu filho.
- Entre, minha gente, e se sentem. Maria, prepara um prato da comida de Jesus para esses retirantes.
Enquanto Maria botava a comida no prato, Manoel foi perguntando:
- Mas homem, que andam fazendo assim?
- Meu irmão, trabalhei 11 anos para o fazendeiro Onório. Plantei as terras dele de palma e capim, cavei tanque e arranquei toco. E agora, no tempo da seca, me botou pra fora da propriedade.
- Homem, e lhe deu os seus direitos?
- Só o direito de sair à toa pelo mundo.
- Taqui a comida, moço. É pobre, mas de boa vontade.
Os retirantes comeram, beberam água, benzeram-se e agradeceram ao dono da casa. E Manoel falou:
- Olhe, vocês fiquem aqui mais nós, que hoje estamos esperando Jesus em nossa asa.
- Jesus vem na sua casa? Perguntaram, admirados os retirantes.
E o marido falou:
- Olha, mulher, que ocasião boa de nós debulhar nosso rosário de sofrimento pra Jesus. Mas nós temos de ir em frente, atrás duma melhora. Mas vamos esperar.
E Jesus nada de chegar. Quando Manoel levanta a vista, vem chegando um aleijado no terreiro e vai logo pedindo:
- Um prato de bóia, pelo amor de Deus!
E Manuel pede a Maria para preparar um prato da comida de Jesus
- Homem, de onde vem assim? – Pergunta Manoel.
- Das Cotinguiba, chefe. Trabalhei 20 anos nas usinas e o resultado é este que o senhor etá vendo. Caí dum caminhão de cana, aleijei e o usineiro me botou para fora.
- Mas deus os seus direitos?
- O direito de mendigar o pão. Que pobre não tem direito de viver não. E, como eu, tem um bocado assim inutilizado. Mal empregado tanto trabalhador se acaba em bagaço.
- Olha a bóia na mesa, chamou Maria. Pode chegar e comer.
E homem aleijado comeu, bebeu água, benzeu-se e agradeceu ao povo da casa e falou:
- Agora vou seguir a viagem.
Daí Manoel disse para ele:
- Não senhor, fique aqui mais nóis, que Jesus vem comer na nossa casa.
- Jesus vem comer na sua casa? Perguntou o homem admirado.
- Sim senhor. Ele vem.
- Que hora boa e eu contar tudo a Jesus! Exclamou o aleijado.
Nisso vem chegando um ceguinho, puxado por um menino, e vai pedindo o que comer. Manoel manda o ceguinho entrar e pede a mulher para preparar mais dois pratos da bóia de Jesus para eles.
Maria falou:
- Desse jeito nun vai sobrar nada pra Jesus.
- Sobra, mulher, que o pão repartido sempre rende mais.
E Manoel perguntou ao ceguinho:
- Homem, para onde vai assim?
- Meu irmão, nunca me vi nestas condições. Vivi sempre do meu trabalho. Tem dois anos que eu ceguei passando veneno nos pastos de uma companhia.
- Mas a companhia pagou seu direito?
- Qual o quê, fiquei foi abandonado sem o direito de ver a luz do dia.
- Pois agora venha comer a bóia e seja convidado pra ficar aqui morando mais nóis.
O cego comeu, bebeu água, agradeceu a Deus e ao dono da casa e se levantou para ir embora. Mas Manoel o convidou para ficar e se encontrar com Jesus.
E deu 12 oras e nada de Jesus chegar. E Maria disse:
- é bom você ir até a igreja e saber por que Jesus não veio até essa hora.
Manoel mais que depressa foi até a igreja. Quando chegou, lá estava Jesus como ele deixou. Daí foi logo perguntando:
- Senhor, por que não foi comer na minha casa? Tá tudo preparado. Esperamos até agora.
Aí Jesus levantou a cabeça e falou:
- Já fui três vezes na sua casa e, graças a Deus, fui muito bem recebido.
- Na minha casa, Senhor?
- Sim, na sua casa, Manoel. Se lembra do família de retirantes que chegou lá?
- Ainda está lá esperando o Senhor.
E Jesus falou:
- Pois era eu chegando na sua casa. Se lembra do aleijado?

- Ainda está lá e quer ver o Senhor.
- Era eu chegando na sua casa. E se lembra daquele ceguinho?
- Ficou lá doido pra lhe ver.
- Era eu chegando em sua casa, Manoel. Por isso vou abençoar a sua vida. Seu trabalho vai lhe dar sempre o sustento. Você vai ser um homem abençoado, e como você, vai começar muita união na sua vizinhança.
E Manoel voltou para casa todo satisfeito. Quando foi chegando, Maria foi logo perguntando:
- Cadê Jesus? Não vem?
- Mulher, Ele disse que já veio hoje três vezes em nossa casa. Que vocês três, companheiros: o retirante, o aleijado e o cego, eram Ele chegando em nossa casa. E abençoou nossa vida e nossa vizinhança porque nós recebemos todos eles bem. Por isso, min há gente, com a benção de Jesus, vamos começar aqui no nosso lugar, uma vida de irmandade.
E daquele dia em diante, tudo mudou. O pessoal, em vez de ir trabalhar alugado para os patrões, resolveu trocar dias de serviço. E tudo era combinado entre eles. Tudo resolvido de comum acordo.
Mas aí, o compadre rico, seu Florindo, que era fazendeiro, começou a notar a diferença. E, um dia, perguntou ao Manuel:
- Compadre, o que aconteceu na sua vida? Agora tudo mudou e até atrás de trabalho o senhor não vai mais.
- Ah! Compadre Florindo! Vou he contar. Convidei Jesus para comer na minha casa e tudo mudou.
E o fazendeiro, chegando em casa, contou para a mulher a novidade:
- Sabe duma coisa mulher? O que botou para a frente o compadre Manuel, que era pobre, foi Jesus. Ele chamou Jesus para comer na casa dele e daí tudo mudou. Então, mulher, vamos chamar Jesus para comer na nossa casa. Se ele foi na casa daquele miserável, que dirá na nossa! Chame logo o empregado e mande matar um carneiro gordo. E dê ordem a empregada para matar um capão. Preparem tudo que eu vou convidar Jesus para a nossa festa. Vou chamar também as autoridades e comprar uns engradados de bebida.
E assim fez. Depois parou o carro na frente da igreja e foi logo falando:
- Como é, Jesus, vai ou não vai comer na minha casa? Deixei os emepregados preparando tudo. Já convidei as autoridades. Meio dia você compareça para comer na minha casa.
Jeus calado estava calado ficou.
E seu Florindo falou ainda:
- Meio dia viu, estarei lá esperando.
E saiu para casa. Por volta das 11 horas, estava tudo pronto. As autoridades começaram a chegar e Jesus, nada! Nisso vem chegando no terreiro uma turma de trabalhadores e perguntam:
- Patrão, tem um dia de serviço para nós? - O fazendeiro respondeu:
- Olhe, hoje não é dia de acertar essas coisas. Hoje Jeus vem comer na mionha casa. Também o pasto está todo roçado. Não preciso de vocês.
E os trabalhadores foram embora. Nesse momento, vem chegando um casal de retirante e pede um prato de comida.
Coronel Florindo muito aborrecido responde:
- Aqui não tem comida para vagabundo não. Podem ir embora. No dia da festa de Jesus, esses miseráveis acham de chegar na minha casa!
Mal fecha a boca, vem chegando um aleijado no terreiro.
- Patrão, me dê um prato de bóia, que tou me acabando de fome.
- Puxe por aí. Se arranca da minha porta. Você só me trás atraso.
Daí a pouco a mulher perguntou:
- Marido, será que Jesus não vem? Já está perto das 12 horas. É bom ir lá saber o que houve.
- Boa idéia. Vocês fiquem aí conversando que eu vou e volto já.
E o fazendeiro saiu. Chegando a porta da igreja, foi logo falando:
- Ma, Jesus, isso é papel e homem? Acertar uma coisa e não cumprir! Está tudo pronto, as autoridades esperando, e você, nada!
Aí Jesus levantou a cabeça e falou:
- Fui três vezes na sua casa e fui muito mal recebido.
- Na minha casa não, senhor.
- Na sua casa, sim. Se lembra da turma de trabalhadores que você mandou embora?
- Aqueles vagabundos?
- Sim. Era eu chegando na sua casa. Se lembra da família de retirantes que você negou o pão? Era eu. Se lembra do aleijado que você botou para correr da sua porta? Era eu. E porque você não soube me receber na sua casa, você e sua família vão conhecer a dor e o sofrimento até aprender a ser humano com os pequeninos.
Daí o fazendeiro abaixou a cabeça, triste, e voltou para casa. Quando chegou, calado, a mulher perguntou:
- Cadê Jesus? Não veio não?
- Ele disse que já veio três vezes e foi muito mal recebido.
- Aqui em nossa casa?
- Sim, mulher. Disse que aqueles trabalhadores eram ele, que os retirantes eram ele.
- Aqueles vagabundos eram Jesus?
- Sim. E o aleijado também.
Nisso caiu à tristeza no coração da mulher. Os nervos não agüentaram e entrou a ruína na casa do fazendeiro. Tudo desabou, chegando ao ponto de os trabalhadores, um dia, terem de se juntar numa campanha para não deixar a família de seu Florindo. – o compadre rico do Manoel - se acabar de fome.
Foi daí que todos aprenderam o poder da fraternidade, da irmandade.
Autor: Frei Roberto E. de Oliveira
Retirada do livro: "Peixe pequeno, os garndes comem"
Sabedoria do povo.





3 comentários:

  1. Lindissimo amiga!
    Passei para desejar a si e à sua família um Natal muito Feliz pleno de alegria, paz e amor.

    “A Melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida.” (desconhecido)

    Que Deus ilumine Hoje e sempre o seu caminho.

    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  2. Querida amiga, tenha um lindo e abençoado Natal. Beijocas

    ResponderExcluir

Será um grande prazer saber sua opinião, ler seus comentários. Sinta-se em casa, arraste a cadeira e tome um café com poesia, que tal?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Real Time Web Analytics