terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

A Desconhecida Na Sapucaí... - Contos e Crônicas

Rafaela era uma moça que amava dançar. gostava  principalmente de samba.  Ela estudava os passos, criava coreografias incríveis. E sambava perfeitamente,  fazendo movimentos perfeitos como uma exímia passista. E sentia um fascínio muito grande pelo carnaval. Sabia tudo sobre a historia das escolas de samba do Rio de Janeiro. E ficava sonhando em ser passista, ou ao menos ver o desfile no sambódromo na Marquês de Sapucaí. Esse era seu maior sonho.
Ela tinha dezoito anos, era loira, de olhos azuis e pele muito branca. Com 1,75cm de altura e 58k bem distribuídos. Era de uma beleza bem singular. E não passava despercebida por ninguém. Estudiosa e muito aplicada em tudo que fazia, tinha jurado a si mesma que um dia, ainda ia ao carnaval do Rio de Janeiro.
Rafaela morava na tranqüila e pacata cidade de Poços de Caldas, tinha um namorado romântico e carinhoso. Era feliz! Só faltava mesmo realizar seu grande sonho.
Rafaela com a intenção de descobrir mais e mais sobre danças e sobre as escolas de samba, entra sempre na Internet para fazer suas pesquisas. E com essa convicção de ir ao desfile das escolas de samba, acaba por encontrar na internet, um site com salas de bate-papos sobre o carnaval, seu tema predileto. Rafaela, muito entusiasmada, entra na sala. E conversa, aliás tecla com inúmeras pessoas.
Rafaela entra sempre que pode na sala de bate-papo. E acaba por fazer amizade com um rapaz do Rio de Janeiro. Ele a conquista aos poucos, usando de artimanhas infalíveis. Enviando cartões virtuais, mensagens em seu celular. Aquele jeitinho carioca encantador e perigoso de conquistar. E acaba por conquistá-la.
Rafaela nem percebe e já está apaixonada pelo amigo internauta. E agora? Como explicar isso a seu namorado que era um rapaz maravilhoso, carinhoso, atencioso, não podia magoá-lo. E resolve esconder, por enquanto, para não vê-lo sofrer. Depois decidiria o que fazer se algo mais sério acontecesse.
Estava se aproximando o carnaval. E Rafaela não podia mais conter seu desejo de ir conhecer o seu namorado virtual. Precisava ver pessoalmente se valia à pena desfazer um relacionamento de anos, pra curtir aquela sua aventura. E, naquele dia ela entra no bate papo pra conversar com seu namorado virtual que usava o apelido de Arlequim e ela era a Colombina. E conversam:
Arlequim: Oi gata! Td bom?
Colombina Oi mo! Td bem!
Arlequim: Tenho uma proposta p vc
Colombina: Proposta? Qual?
Arlequim: Seu sonho é ver o desfile das escolas de samba né?
Colombina: Sim é. Pq?
Arlequim: Vc n quer vir fikar na mh casa? Eu poderia te levar no sambódromo, pois desfilo em uma escola de samba.
Colombina: Na sua casa?
Arlequim: Sim gata, qual o problema?
Colombina: Mas eu nem te conheço...
Arlequim Pow gata, garanto q vc vai gostar de mim.
Colombina: Vou pensar...
E em um rompante de loucura Rafaela se imagina indo conhecer seu Arlequim em pleno carnaval da Cidade Maravilhosa. E aquela idéia não sai de sua cabeça. Tinha que dar um jeito de conseguir ir ao menos para vê-lo. E quem sabe até iria sambar na arquibancada da Sapucaí!
Um dia, Rafaela estava tranqüila ouvindo musicas da radio local, quando derrepente o locutor diz:
- O Programa da tarde irá fazer uma mega promoção para esse carnaval! Faremos um concurso, para escolher a melhor passista de Poços, e a melhor dançarina terá direito a assistir o carnaval, na Marquês de Sapucaí no camarote especial da rádio com tudo pago. Ai galera, se inscrevam!
O locutor mal fechou a boca e Rafaela, ligou imediatamente para rádio, para saber como seria o concurso. E se inscreveu na mesma hora. E não contou a ninguém, nem mesmo ao namorado virtual. E no dia do concurso, ela foi eleita à passista de Poços de Caldas! E ganhou o prêmio!
E o dia do carnaval se aproximava e Rafaela ficou muito ansiosa, ia realizar seu sonho. Ela foi para o sambódromo com o namorado, pois tinha direito a um acompanhante.
E lá estava Rafaela no sambódromo vendo as escolas desfilarem. E ela aproveitava e sambava também. E como era linda e sambasse divinamente, chamou a atenção de algumas pessoas presentes no camarote. E o namorado emburrado diz:
- Rafa vê se para de se requebrar, você ta chamando muito a atenção.
- Credo, amor, nem percebi. E além do mais eu vim aqui pra dançar também. Deixa de ser chato, que nem tô vendo que estão me olhando.
E o namorado ficou emburrado. Mas outra pessoa a observava de longe. E no meio do desfile da primeira escola, entra no camarote em que Rafaela está uma moça chorando desesperadamente. E Rafaela  tenta consolá-la:
- O que houve? Não chore assim.
- Eu cai e acabei de torcer o pé. E não vou poder entrar na avenida. E pior é que não tem ninguém pra me substituir. Eu sou rainha da bateria da Mocidade Independente de São João. Isso não podia acontecer.
Então o rapaz que havia observado Rafaela dançando, diz:
- Eu sou presidente da escola estou aqui há algumas horas. E nunca vi ninguém sambar tão maravilhosamente, quanto você!
Diz isso apontando pra Rafaela. Que surpresa diz:
- Eu?
- Sim, você. E quero te fazer um pedido, mas por favor não recuse! Venha ser a nossa rainha! Por favor!
Rafaela esta sob o choque e a emoção do momento e não consegue raciocinar direito. Mas impulsionada pela emoção vai. Colocam lhe a fantasia da outra rainha. E ela esta na frente da bateria. Quando seus olhos cruzam com os do mestre da bateria. E assustada diz:
- Arlequim?!
- Minha Colombina?!
E Rafaela tira dez nas notas do jurado. A escola vence o carnaval. E ela precisara escolher entre seus dois amores. Precisará optar entre o sonho maravilhoso e incerto com Arlequim, ou pelo mundo tranqüilo e tão desprovido de emoções com seu namorado. Seria ele o Pierrô?







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Será um grande prazer saber sua opinião, ler seus comentários. Sinta-se em casa, arraste a cadeira e tome um café com poesia, que tal?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Real Time Web Analytics