sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

A Vida Pede Socorro! - Cronicas e Contos




A Vida pede Socorro!

            Eram nove horas da manhã do dia 21 de setembro de 2020. Lucas brincava despreocupadamente no quintal de sua casa. Quando a mãe lhe chamou:
            -           Lucas, é hora de fazer o dever de casa.
            -           Já estou fazendo mãe.
            -           Como assim fazendo Lucas?
            -           O dever de hoje é uma pesquisa do meio ambiente. E deve ser feita em nosso quintal. Ou de nossa janela, pra quem mora em apartamento!
            Lucas riu e a mãe também.
            -           Ta bom, filho. Então, depois você vem me mostrar, tá?
            Lucas estava pesquisando onde morava, no Vale do Itabira. E em seu caderno, uma pergunta sem resposta. Olhou para o alto da montanha, e viu bem em cima do Pico Itabira um teleférico. Que transportava turistas para apreciar a natureza, lá de cima. E pensou ele – que natureza? -   E viu a montanha pelada de árvores. E a piscina da casa estava seca. Pois a água que descia, há muitos anos se esgotara. Lucas do alto de seus doze anos, nunca a tinha visto. Apenas ouvira de seu pai, historias fantásticas sobre ela.
            E em seu caderno, a seguinte pergunta intrigava aquele menino de olhar triste e de sonhos desfeitos. – Faça uma redação com o seguinte tema: Onde, e como você vê a natureza?
            Lucas ouvira da professora a orientação de que deveria pesquisar em seu próprio ambiente. E ele que morava bem em baixo do Itabira, não achava as respostas, para escrever sua redação. E foi então, perguntar a mãe:
            -           Mãe, me responde onde está a natureza?
            -           Ora filho, que pergunta! Ta lá fora.
            -           Mas eu não consigo ver mãe. Cadê aquela cachoeira refrescante, que o papai tanto fala? Cadê os pássaros que cantavam melodiosamente no despertar da manha? Cadê a natureza que era admirada do alto do Itabira? Cadê mamãe?
            -           Calma filho, vamos encontrar a resposta pra sua redação. Deixe-me pensar... Já sei! Vá à Internet, lá tem arquivos antigos. E com certeza fotos da natureza! Onde você poderá ver e assim criar sua redação sobre a natureza.
            Lucas com muito desânimo caminha pro computador para fazer sua pesquisa. E após algumas horas, decepcionado faz sua redação com apenas algumas linhas assim:
            Eu encontrei a natureza na cibernética fria do meu computador! Lá vi as árvores que sonhei um dia balançar em seus galhos! Vi as flores e as borboletas virtuais que as cheiravam! Até ouvi o canto dos pássaros, que como disse papai, acordava o amanhecer! Vi as belas e refrescantes cachoeiras, e o mar tranqüilo e inspirador.         Mas me decepcionei. Pois não pude subir nas árvores, não pude sentir o perfume sedutor das flores e nem ver as borboletas coloridas e livres a beijá-las. Nem pude ver a algazarra dos pássaros quando amanheceu, a festa que faziam quando encontravam frutas, ou no farfalhar das folas das árvores. Nem pude me banhar naquelas águas límpidas e refrescantes de outrora. Que pena! Que pena que eu não pude me inspirar no sussurro do vento, a beira do mar que cantava em noites longínquas de luar!
            E sua mãe preocupada perguntou:
            -           Lucas, você encontrou a resposta que a professora pediu filho?
            -           Sim mamãe. Eu encontrei a natureza, no jazigo dos arquivos antigos, dos sites de pesquisa da net, do meu PC!


                                                                                                   



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Será um grande prazer saber sua opinião, ler seus comentários. Sinta-se em casa, arraste a cadeira e tome um café com poesia, que tal?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Real Time Web Analytics